Filme de 2009, escrito e dirigido por Tony Gilroy, e estrelado por Clive Owen e Julia Roberts. A trama segue dois espiões corporativos que colaboram para levar a cabo um golpe complicado. Foi lançado em 20 de março de 2009.

Claire Stenwick (Julia Roberts), ex-agentes da CIA, e Ray Koval (Clive Owen), ex-agentes do MI6, deixaram seus antigos empregos para lucrar com a guerra fria existente entre duas corporações rivais. Howard Tully (Tom Wilkinson) e Richard Garsik (Paul Giamatti) são os grandes chefões por trás dessa briga para conquistar a patente de um produto que promete render uma grande fortuna e para encontrar a fórmula desse produto milagroso, nada é proibido. Com muita coisa em jogo, ninguém sabe quem está enganando quem. O problema é que, enquanto tentam passar a perna um no outro, Claire e Ray vêem o plano deles em perigo devido à única coisa que não conseguem driblar: o amor.

Título Original: Duplicity
Com: Clive Owen, Julia Roberts, Tom Wilkinson, Paul Giamatti e mais
País de Origem: EUA / Alemanha
Gênero: Comédia, Crime, Romance 
Ano de Lançamento: 2009
Direção: Tony Gilroy

Esse é aquele tipo de filme que deixa todo mundo desconfiado desde os primeiros minutos de projeção até o final, quando todos esperam a grande reviravolta. Tony Gilroy constrói um roteiro cuidadoso, trabalhando muito bem cada detalhe para que no final tudo faça o máximo de sentido possível. Claro que sempre pode soar um pouco forçado para alguns, mas tenho certeza que muitos ficarão satisfeitos com o desfecho coerente, pelo rumo que o filme vai tomando no decorrer da projeção.

O trabalho da edição se mostra um pouco confusa do começo pra metade (particularmente, achei que a passagem de tempo não ficou muito clara) e esse foi um dos pontos que mais me incomodou, apesar de não comprometer o entendimento do filme. Porém, se por um lado, esse ponto incomoda, por outro, a escolha do elenco se mostra mais do que acertada.

Repetindo a ótima química já vista no excelente “Closer – Perto Demais”, Julia Roberts e Clive Owen demonstram uma desenvoltura em cena que convence e envolve o espectador de forma satisfatória. E não bastasse essa dupla maravilhosa, o filme ainda conta com a maestria e o apoio de Tom Wilkinson e Paul Giamatti, ambos apresentando um excelente nível nos trabalhos, como já era de se esperar.

Duplicidade é uma combinação elegante e despretensiosa entre espionagem, romance, intriga (com muitas pitadas de desconfiança) e um pouco de suspense cômico, que resulta em um entretenimento marcante, agradável e inteligente.

Enfim, um acerto da parte do Gilroy, que me surpreendeu de forma positiva.