O filme foi escrito e dirigido por Damien Chazelle e é estrelado por Ryan Gosling e Emma Stone, nos papéis principais, contando ainda com as presenças de J. K. Simmons, Finn Wittrock, Tom Everett Scott, Rosemarie DeWitt e Meagen Fay

Nas últimas semanas, “La La Land: Cantando Estações” tem apontado como favorito ao Oscar de Melhor Filme não apenas pelos elogios da crítica, mas pela verdadeira adoração que o filme vem recebendo dos espectadores em geral.

Há um ano atrás ninguém imaginava todo esse buzz que o filme iria alcançar, nem mesmo o Milles Teller esperava isso. Naquela época tudo o que realmente sabíamos sobre o filme era que o Ryan Gosling e a Emma Stone iriam estrelar o novo filme musical de Damien Chazelle, o aclamado diretor de “Whiplash: Em Busca da Perfeição”, o que para nós já parecia promissor. Mas foi só quando o mundo teve acesso ao resultado final da produção que percebeu que estava diante de um possível “novo-clássico” do cinema americano.

Levando em conta todo esse histórico, parece impossível imaginar que alguém iria recusar fazer parte dessa produção – especialmente quando pensamos em alguém que já tinha trabalhado com o Damien Chazelle em seu último filme de grande sucesso. Mas, aparentemente, foi exatamente isso que aconteceu.

Originalmente, “La La Land: Cantando Estações” ia ser liderado por uma das estrelas de “Whiplash: Em Busca da Perfeição”, o ator Miles Teller, juntamente com a Emma Watson (a eterna Hermione Granger, dos filmes do Harry Potter). Inicialmente, esse era o plano, mas essa versão se desfez, e que bom que se desfez. Sem ofensas, mas cá entre nós, essa dupla não teria o mesmo apelo “romântico-comercial” que parece existir entre Ryan Gosling e Emma Stone.

De acordo com Miles Teller, quando o filme ainda estava na fase de pré-produção, ele recebeu um telefonema do agente dele informando-lhe que a Lionsgate, falando em nome do diretor Damien, tinha decidido que ele (Miles Teller), criativamente, não parecia ser a melhor escolha para o projeto e que eles teriam decidido seguir na produção do filme sem a participação dele.

No entanto, o site The Hollywood Reporter recentemente publicou um artigo afirmando que a história não aconteceu exatamente dessa forma. Aparentemente Teller estava negociando um aumento na oferta dos estúdios, que acabou congelando em US$ 4 milhões. Como a oportunidade de negociação não estava indo como as partes esperavam, a Lionsgate teria decidido que seria melhor desistir da participação do ator no filme, já ele ainda teria necessidade de treinar como pianista durante algumas semanas antes do início das filmagens, em agosto de 2015, e caso essa negociação se prologasse ainda mais eles ficariam sem tempo.

Quanto a Emma Watson, aparentemente ela não estava muito animada com sua participação no filme e preferiu focar seus esforços nas filmagens do novo longa-metragem em live-action da Disney, “A Bela e a Fera”, que deve ser lançando só em Março do ano que vem.

“La La Land: Cantando Estações” segue a história de Mia (Emma Stone), uma aspirante a atriz, e Sebastian (Ryan Gosling), um músico de jazz dedicado, que estão lutando para sobreviver em uma cidade conhecida por esmagar as esperanças e quebrar os corações.

Ambientado na moderna Los Angeles, este musical original fala sobre a vida cotidiana e explora a alegria e a dor de um casal que persegue os seus sonhos. O título é uma referência tanto ao apelido da cidade de Los Angeles, como ao eufemismo de estar fora do contato com a realidade.

O filme teve sua estréia mundial no Festival de Veneza, em 31 de agosto de 2016, e está programado para ser lançado nos Estados Unidos no dia 02 de dezembro de 2016 pela Summit Entertainment.

Com distribuição nacional da Paris Filmes, “La La Land: Cantando Estações” tem estreia prevista para 12 de janeiro, aqui no Brasil.