Roteirizado por Eric Roth e dirigido por David Fincher, “O Curioso Caso de Benjamin Button” é um filme de drama lançado em 2008, baseado em um conto lançado em 1921 escrito por F. Scott Fitzgerald

Nova Orleans, 1918. Benjamin Button (Brad Pitt) nasceu de forma incomum, com a aparência e doenças de uma pessoa em torno dos oitenta anos mesmo sendo um bebê. Ao invés de envelhecer com o passar do tempo, Button rejuvenesce. Quando ainda criança ele conhece Daisy (Cate Blanchett), da mesma idade que ele, por quem se apaixona. É preciso esperar que Daisy cresça, tornando-se uma mulher, e que Benjamin rejuvenesça para que, quando tiverem idades parecidas, possam enfim se envolver.

Data de Lançamento: 16 de janeiro de 2009 (2h 35min)
Direção: David Fincher
Elenco: Brad Pitt, Cate Blanchett, Julia Ormond e mais
Gêneros: Drama, Fantasia, Romance
Nacionalidade: EUA

Baseado no conto de Fitzgerald, “Benjamin Button”, conta a história de um homem que nasceu com mais de 80 anos e com o passar do tempo, vai se tornando mais jovem. O filme não tem um enredo simples, do ponto de vista lógico das coisas, mas o desenrolar da história é tão bem feita que, sinceramente, a gente acaba esquecendo o fato de que isso nunca vai acontecer no mundo real. É muito mais interessante observar como “jovem” Benjamin passa por todas as suas descobertas e aventuras, enfrentando os obstáculos físicos que sua condição especial lhe apresenta, passando pela decepção de um amor interrompido, guerras e muito mais.

Com um quê de “Forrest Gump“, o roteiro do filme mistura fatos históricos ao enredo completamente fictício do filme, tornando a vida de Benjamim – assim como a de Forrest – extremamente fascinante. Além disso, a presença do romantismo não convencional (com destaque para o fato de que enquanto ela envelhece, ele fica mais jovem) ajuda a produção a alcançar um resultado primoroso e bem balanceado, com toques de comédia em tempos certos e uma finalização de extremo bom gosto, quase perfeito.

Digo “quase” porque definitivamente tenho um problema com os filmes do David Fincher: todos eles poderiam ter, pelo menos, meia hora a menos. Mas, por sorte, a história de Benjamim Button (Brad Pitt) é tão cativante que criamos até uma certa dependência pelos acontecimento da vida do próprio Benjamin, da sua mãe (Taraji P. Henson) e, claro, da Daisy (Cate Blanchett).

Outros fatores coadjuvantes ajudam bastante também: a aclamada trilha sonora amarra tudo perfeitamente, belíssima desde o primeiro acorde. A fotografia, direção de arte e maquiagem dispensam quaisquer comentários: a cena de Daisy dançando nas sombras para Benjamin é estonteante, uma obra-prima. E, claro, a cena que Benjamin aparece com 20 anos é assustadora: eu parecia estar vendo o mesmo Brad Pitt que apareceu pra mim pela primeira vez em “Encontro Marcado” e “Telma & Louise“. É mais impressionante do que a caracterização dele ainda mais idoso.

Enfim, “O Curioso Caso de Benjamin Button” me tocou, me envolveu e me enfeitiçou. É um filme perfeitamente técnico e esse tipo de perfeição nunca é demais.


Cotação:

5-votos