Escrito e dirigido por Justin Kelly, o filme foi baseado em uma história real, narrada no artigo “My Ex-Gay Friend”, de Benoit Denizet-Lewis, publicado em 2015 na revista New York Times.

Produzido por Gus Van Sant e estrelado por James Franco, Zachary Quinto, Emma Roberts e Charlie Carver, o longa “Eu Sou Michael” estreou no Festival de Cinema de Sundance há quase dois, mas apesar de todo o alto nível de talento envolvido – tanto à frente como por trás das câmeras – o filme levou muito tempo para chegar às telonas. O primeiro trailer do filme foi finalmente divulgado essa semana e você pode conferir o resultado aqui:

Eu Sou Michael” acompanha a história de Michael Glatze, um jovem gay ativista e defensor dos direitos dos homossexuais, que em 2007 chocou seus amigos e seguidores quando renunciou publicamente a sua homossexualidade, se auto declarando ex-gay e passando a levar uma vida religiosa, cansando-se com uma mulher e se tornando um pastor cristão.

O que poderia tê-lo levado a uma mudança tão extrema de crença? Esta é uma investigação complexa sobre um idealista que, ao se deparar com a morte, resolveu destruir e reconstruir a sua própria verdade.

Aqui está a sinopse oficial:

Michael Glatze (James Franco) é um ativista dos direitos homossexuais que passa a condenar sua própria condição, arranja uma namorada e transforma-se em pastor ferrenho na luta contra os gays. O filme segue sua vida em San Francisco, junto com seu namorado Bennett (Zachary Quinto), onde ele exerce seu ativismo político e se dedica à carreira jornalística, na revista XY, levantando questões sobre a consciência social, exploração sexual e auto-descoberta pessoal. Depois de um susto traumático, Michael é atormentado pela dúvida e paranóia, e começa um reavivamento religioso. Ele explora o Budismo e o Mormonismo, mas finalmente desembarca em uma escola bíblica cristã em Wyoming, onde ele conhece sua namorada, Rebeca (Emma Roberts), e torna-se pastor de sua própria igreja. O filme captura a jornada assombrosa de um homem através de conceitos modernos de amor, negação e redenção.

O filme foi exibido pela primeira vez no Festival de Cinema Sundance em 2015 e seguiu em tour por diversos festivais, dentre eles o Festival Internacional de Cinema de Berlim, o Festival LGBT de San Diego, o Frameline Film Festival, em São Francisco, dentre outros. Aqui no Brasil ele foi exibido na Mostra Panorama no Festival do Rio em 2015, concorrendo ao Prêmio Felix 2015.

A produção atraiu opiniões moderadamente positivas, principalmente pela complexidade na atuação de James Franco, mas sofreu algumas crítica negativas por ser considerado muito seco e por se manter muito distante e velado, em uma tentativa de ser imparcial.

Esse ano a  Brainstorm Media adquiriu direitos de distribuição para o filme e programou o lançamento oficial, em versão limitada e através de vídeo sob demanda, para 27 de janeiro de 2017.

Curiosidade: Desde a mudança na vida de Michael Glatze, ele escreveu inúmeros artigos e apareceu em mídias televisivas e on-line, dando declarações polêmicas e controversas sobre sua antiga vida. Mas recentemente Glatze, que continua casado com uma mulher, deixou oficialmente o movimento “ex-gay” e pediu desculpas por alguns de seus escritos e vídeos, lançados enquanto ele fazia parte do movimento.

I Am Michael (2015)